Blog Realizarte Palestras

Falando de Saúde, Segurança do Trabalho e Motivação!

Os impactos da pandemia na segurança do trabalho

Os impactos da pandemia na segurança do trabalho

A pandemia de COVID-19 trouxe desafios sem precedentes para a segurança do trabalho, forçando empresas e trabalhadores a repensarem suas práticas e protocolos de segurança. À medida que o mundo se adaptava a um novo normal, a importância de estratégias eficazes de segurança no trabalho nunca foi tão crítica.

Este artigo examina os impactos substanciais da pandemia na segurança do trabalho, as valiosas lições aprendidas e as estratégias robustas para o futuro, garantindo um ambiente de trabalho mais seguro e resiliente.

Continue lendo para conferir!

Primeira reação das empresas

Quando a pandemia começou, a primeira etapa para muitas organizações foi uma reavaliação abrangente dos riscos no local de trabalho. As empresas tiveram que rapidamente entender e mitigar os riscos associados à transmissão do vírus, especialmente em ambientes fechados e áreas com alto contato entre pessoas. Esta reavaliação incluiu a implementação de medidas como distanciamento social, uso obrigatório de máscaras e instalação de estações de higienização das mãos.

Surpreendentemente ou não, segundo Anuário Estatístico de Acidentes do Trabalho 2021, do Ministério da Previdência Social, presentes em matéria da Agência Brasil, em 10 anos, o maior registro de acidentes de trabalho no Brasil ocorreu durante a pandemia de Covid-19. Em 2021, segundo ano com o maior número de casos, o topo da lista de afastamentos ficou com os profissionais de atendimento hospitalar.

Ou seja, apesar de a casa parecer um local seguro, houve desafios que ainda reverberam. Entenda mais adiante.

Adaptação e flexibilidade na implementação do trabalho remoto

Uma mudança significativa na segurança do trabalho foi a adoção em massa do trabalho remoto (teletrabalho). Para muitos setores, esta foi uma solução eficaz para minimizar o contato físico e reduzir a propagação do vírus. Além do home office, as ocupações que exigem presença física no local de trabalho também passaram por várias alterações. Isso inclui a implementação de medidas como o uso obrigatório de máscaras, escudos faciais e luvas.

No entanto, o trabalho remoto também trouxe novos desafios de segurança, como a ergonomia inadequada. A falta de uma cadeira ergonômica ou uma mesa de altura apropriada pode levar a dores crônicas nas costas, problemas de coluna e tensão ocular.

Houve também os riscos psicossociais associados ao isolamento e à falta de separação entre o ambiente doméstico e de trabalho. Outro desafio notável é a dificuldade em manter uma rotina de trabalho estruturada, o que pode contribuir para horários de trabalho prolongados e desregulados, aumentando o risco de burnout e diminuindo a eficácia geral do trabalhador.

Essas questões reforçam a necessidade de políticas de trabalho remoto mais rigorosas e suporte contínuo dos empregadores para garantir que o ambiente doméstico seja tão seguro e produtivo quanto o tradicional ambiente de escritório.

Alerta para a falta de atenção à saúde mental

A pandemia destacou a importância da saúde mental no contexto da segurança do trabalho. O estresse e a ansiedade aumentaram significativamente devido às incertezas e pressões do período. Empresas proativas implementaram programas de apoio à saúde mental, oferecendo acesso a terapias e práticas de bem-estar, como com as empresas GymPass e Vittude, reconhecendo que a segurança do trabalho é holística e inclui o bem-estar mental dos empregados, principalmente com a ascensão da preocupante Síndrome de Burnout.

Esse é um exemplo que deve ser seguido mesmo após a pandemia. Afinal, diversas empresas mantiveram o trabalho remoto em muitos setores ou até mesmo em sua totalidade. Na realidade, segundo dados da FGV, 33% das empresas continuam com o home office e o período de trabalho remoto se estende. Em 2021, 57,5% das empresas no Brasil indicaram que implementaram o modelo de home office, seja parcial ou integralmente. Essa proporção caiu para 32,7% em outubro de 2022, mas ainda assim representa uma parcela significativa diante dos últimos anos.

Tecnologia e inovação: uso de ferramentas aprimorar a segurança do trabalho

A tecnologia desempenhou um papel fundamental na adaptação das práticas de segurança durante a pandemia. Ferramentas de monitoramento remoto, softwares de gestão de saúde e segurança, e aplicativos para rastreamento de contatos foram rapidamente adotados. Estas inovações não apenas ajudaram a gerenciar os riscos de transmissão, mas também estabeleceram uma base para futuras práticas de segurança no trabalho.

Aumento de treinamentos e comunicação

O treinamento regular dos funcionários tornou-se ainda mais essencial durante a pandemia. As organizações tiveram que garantir que todos os trabalhadores estivessem cientes das novas medidas de segurança e compreendessem como implementá-las corretamente. A comunicação eficaz foi crucial, garantindo que as informações sobre segurança fossem claras, acessíveis e atualizadas.

Adoção de estratégias sustentáveis

Olhando para o futuro, é essencial que as lições aprendidas durante a pandemia sejam integradas em estratégias de longo prazo para a segurança do trabalho. Isso inclui manter a flexibilidade operacional, investir continuamente em tecnologia e inovação, e reforçar a importância da saúde mental. Além disso, a pandemia mostrou a necessidade de planos de resposta a emergências mais robustos e específicos, preparando as empresas para responder prontamente a futuras crises sanitárias ou outras emergências.

Ou seja, a pandemia mudou irrevogavelmente o panorama da segurança do trabalho, mas também ofereceu uma oportunidade única para reformular e fortalecer as práticas de segurança. As lições aprendidas nos últimos anos devem servir como um guia para desenvolver ambientes de trabalho mais seguros, resilientes e adaptáveis. A segurança do trabalho, agora mais do que nunca, deve ser vista como uma parte integrante da estratégia geral de negócios, indispensável para a sustentabilidade e sucesso a longo prazo.

É válido ressaltar que vários dos impactos positivos citados ao longo deste texto não foram adotados por inúmeras empresas. Por isso, convidamos você a efetivar as medidas que ainda não segue para viabilizar a melhor promoção da conscientização da segurança do trabalho.

Para conferir mais textos relacionados à segurança do trabalho, não deixe de navegar pelo nosso blog. Até a próxima!

Quer receber conteúdos de qualidade?

Inscreva-se em nosso newsletter e seja o primeiro a receber todas as novidades que surgirem por aqui em seu e-mail!

Pesquisar

Segurança do trabalho Guia passo a passo para montar a SIPAT
Cultura de segurança, Prevenção de acidentes, Segurança no trabalho
Ergonomia no ambiente de trabalho: como prevenir lesões e melhorar a produtividade
Gestão de crises e resposta a incidentes de segurança do trabalho: melhores práticas e lições aprendidas

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.