Blog Realizarte Palestras

Falando de Saúde, Segurança do Trabalho e Motivação!

como fazer o Descarte de EPI

Descarte de EPI: quando e como fazer da maneira correta

SIPAT online

Não é segredo para ninguém que o Equipamento de Proteção Individual (EPI) é um material indispensável para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores. Mas, você sabe como fazer o descarte de EPI da forma correta?

Afinal de contas, esses equipamentos são utilizados para proteger os trabalhadores dos produtos tóxicos, contaminação e possíveis acidentes que podem acontecer no ambiente de trabalho.

Logo, fazer o descarte de EPI corretamente é importante para assegurar a proteção das pessoas que podem ter contato com esse material no futuro e, também, para evitar o uso inadequado dos funcionários.

Pensando nisso, neste artigo, a Realizarte vai mostrar como fazer o descarte correto do equipamento de proteção individual de acordo com as suas classes. Então, acompanhe-nos nessa leitura até o final para conferir!

Descarte de EPI: quais são as suas classificações?

Antes de saber como fazer o descarte de EPI, é muito importante que você saiba quais são as diferenças entre esses equipamentos. Isso porque, uma máscara, por exemplo, tem funções e tipos de contaminações bem diferentes de uma viseira.

Com isso, cada um deles exige cuidados diferentes na hora de descartar. A norma da ABNT NBR 10004 os categorizam em três classes: I, IIA e IIB. Veja abaixo quais são as suas particularidades!

  • Classe I (resíduos perigosos): são os equipamentos que são utilizados durante a exposição a riscos tóxicos, químicos ou patógenos (bactérias, fungos e vírus). Eles apresentam riscos de contaminação ao meio ambiente e à sociedade;
  • Classe IIA (resíduos não inertes): são os equipamentos que, embora não apresentem riscos diretos, podem contaminar o meio ambiente. Eles possuem características parecidas com o lixo doméstico;
  • Classe IIB (resíduos inertes): são os equipamentos que não geram contaminação à sociedade ou ao meio ambiente. No entanto, eles, ainda assim, devem ser descartados da maneira correta, pois não são biodegradáveis.

Qual é o momento certo de fazer o descarte de EPI?

O equipamento de proteção individual deve ter substituição imediata quando estiver danificado (como furos, rasgos, danos, quebra de alguma parte do material ou rachaduras), vencido ou for perdido pelo trabalhador.

Cada EPI tem um prazo de validade, pois os itens podem perder a qualidade se ficarem muito tempo guardados ou depois de um certo tempo de uso.

Por isso, as empresas devem estar sempre atentas quanto ao vencimento desses equipamentos para fazer a entrega de novos itens de segurança no tempo certo.

Dinâmicas para SIPAT

Desse modo, antes de cada troca do EPI, deve-se haver a higienização adequada e a orientação ao funcionário sobre o uso, conservação e armazenamento apropriados.

Além disso, depois de usar ou trocar o EPI, caso seja observado que ele está em condições inadequadas, é necessário fazer a substituição imediata. O que pode acontecer por alguma irregularidade, defeito, contaminação ou orientação técnica de uso.

Afinal, devemos lembrar que o equipamento de proteção individual tem como objetivo principal proteger o colaborador, portanto, se ele não estiver mais cumprindo totalmente com o seu papel, deve ser descartado e substituído o quanto antes.

Como fazer o descarte de EPI da maneira correta?

Como visto, os EPIs são divididos em três classes. Então, o descarte correto varia de acordo com a classificação. Logo abaixo, você verá como fazer de acordo com a Classe I, IIA e IIB. Confira!

Classe I

Como os EPIS da Classe I são os mais tóxicos à sociedade e ao meio ambiente, eles devem ser separados de todos os outros resíduos e devem ser identificados para que as pessoas que vão fazer o descarte tenham a devida atenção.

O ideal é encaminhá-los para uma empresa específica, que tem a capacidade de descartá-los a um destino específico para esses resíduos.

Classe IIA

Já a Classe IIA, por sua vez, não oferece riscos diretos para a saúde e o meio ambiente e, por isso, podem ser descartados nos aterros, junto com o lixo comum da empresa. Mas, eles também podem ser encaminhados para instituições de reciclagem.

Classe IIB

Por fim, o descarte de EPI da Classe IIB também deve ser feito, preferencialmente, por uma empresa especializada. Pois, eles não são biodegradáveis e podem poluir a água e o solo.

Agora que você já sabe quando e como fazer o descarte correto do EPI, explore nosso blog para continuar aprendendo sobre diversos assuntos relacionados à saúde e segurança do trabalhador!

Quer receber conteúdos de qualidade?

Inscreva-se em nosso newsletter e seja o primeiro a receber todas as novidades que surgirem por aqui em seu e-mail!

Pesquisar

Segurança do trabalho Guia passo a passo para montar a SIPAT
, ,
CIPA e SESMT: como atuam dentro das empresas?
Trabalhadores temporários: cuidados de saúde e segurança indispensáveis

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.