Blog Realizarte Palestras

Falando de Saúde, Segurança do Trabalho e Motivação!

Como evitar assédio no trabalho

Assédio no trabalho: como ele pode acontecer?

SIPAT online

Trabalhar em um ambiente tranquilo e satisfatório é o desejo de muitos profissionais. Mais do que benefícios financeiros, buscamos um lugar de boa convivência, de valorização, respeito e de cuidado com a saúde mental.

Mas, infelizmente, uma dura realidade tem afetado a saúde psicológica nas empresas: o assédio. Apesar de poder ser realizado por qualquer pessoa e sofrido por qualquer gênero, a maioria dos casos estão relacionados a vítimas do gênero feminino.

Os casos são tão comuns que uma pesquisa, realizada pelo Instituto de Pesquisa Datafolha, constatou em 2018 que 42% das brasileiras já sofreram algum tipo de assédio.

Apesar de ser crime, esse é um problema que muitas vezes acontece de uma forma sutil, com brincadeiras e insinuações, que muitas vezes deixa a vítima desapercebida da gravidade, até chegar em situações de humilhações.

E você? Sabe identificar os diferentes tipos de assédio? Sabe o que caracteriza esse crime e o que fazer, caso passe por isso? Então, acompanhe este conteúdo e entenda as diferentes formas de assédio no trabalho.

  • O que caracteriza assédio?
  • Tipos de assédio no trabalho
  • A quem recorrer e como evitar esse crime na sua empresa

O que caracteriza assédio?

O assédio no ambiente de trabalho ocorre quando existe exposição de trabalhadores em situações constrangedoras e humilhantes.

Dessa forma, todo comportamento abusivo, ofensivo ou qualquer importunação pode ser considerado assédio.

Essas ações são criminosas e devem ser combatidas, pois geram danos psicológicos à vítima, com consequências que comprometem seu convívio em sociedade, devido às situações que foi submetida.

As práticas podem surgir de qualquer pessoa do ambiente, mas é muito comum que ocorra a partir de ações de superiores, como líderes e gestores que podem se sentir mais confortáveis com tal prática, devido a posição de maior hierarquia.

No entanto, independente de quem pratique o assédio, esses são problemas que podem comprometer também a imagem da empresa, gerando processos trabalhistas.

É importante entender que, do ponto de vista legal, a ação só se caracteriza como assédio quando ela é recorrente, pois uma situação isolada pode ser considerada como um dano moral e não assédio.

Tipos de assédio no trabalho

No ambiente de trabalho, o assédio pode ser considerado basicamente de dois tipos: moral e o assédio sexual.

O assédio moral acontece quando o colaborador é exposto, frequentemente, a situações de humilhações e constrangimentos no trabalho.

Essa prática pode se materializar em qualquer situação que deixe o trabalhador mentalmente abalado, que comprove uma perseguição.

Contudo, situações como xingamentos e insultos, não precisam acontecer mais de uma vez para ser considerado um ato de assédio moral.

Dinâmicas para SIPAT

As principais situações citadas são:

– Ser forçado a pedir demissão;

– Impor metas abusivas de atingimento difícil;

– Agressões verbais, apelidos pejorativos ou vexatórios;

– Brincadeiras constrangedoras;

– Humilhações, sejam públicas ou privadas;

– Ameaças de punições ou demissão;

– Punições injustas;

– Retirar instrumentos de trabalho ou negar instruções.

Já o assédio sexual pode ocorrer por intimidação ou chantagem. Ele pode ser caracterizado através de oferta, insinuação, comentários e ações que demonstrem interesse em algum tipo de favor sexual em troca de alguma vantagem.

Em alguns casos, o assédio pode ser caracterizado tanto como moral como sexual ao mesmo tempo, visto que o assediador, após sofrer a rejeição, pode praticar atos que exclua ou humilhe a vítima.

A quem recorrer e como evitar esse crime na sua empresa

Em casos como esses, o primeiro passo é ter um diálogo aberto sobre os constrangimentos. Caso não cessem, é fundamental reunir provas e testemunhas, comunicar a um superior e se dirigir a um órgão de proteção ao trabalho.

Assim, também cabe às empresas a responsabilidade de criar ações que não permitam assédios no ambiente. Uma boa prática é a criação de um canal de denúncias na empresa, para criar um ambiente confiável para a vítima e intimidante para o assediador.

Em todos os casos, os assediadores devem ser punidos, para que sirva como exemplo e as práticas não se tornem comuns, adoecendo o ambiente de trabalho.

Espero que você tenha gostado desse conteúdo. Até a próxima!

Quer receber conteúdos de qualidade?

Inscreva-se em nosso newsletter e seja o primeiro a receber todas as novidades que surgirem por aqui em seu e-mail!

Segurança do trabalho Guia passo a passo para montar a SIPAT
, ,
SESMT terceirizado: o que é possível esperar com a terceirização do setor?
Retenção de talentos: 5 razões pelas quais bons funcionários se demitem

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu